Image maia-1-696x392

Em seu discurso assumindo sua pré-candidatura presidencial, nesta quinta-feira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia(DEM-RJ), se mostrou otimista: disse ter certeza de que sua candidatura irá decolar e que ele estará no segundo turno.

— A minha candidatura vai decolar, pode escrever aí. Não tem plano B. Pode escrever aí, eu tô no segundo turno com certeza — disse Maia.

Questionado sobre o fato de ter apoiado a gestão Michel Temer, e agora renegar o selo de candidato do governo, Maia disse que apoiará as pautas que concorda do governo, mas que não está “disposto” a defender o legado do atual presidente.

— A obrigação do legado é do governo, não é obrigação da minha candidatura. A minha candidatura quer representar um projeto para o futuro, e naquilo que eu acredito que está certo eu vou defender. O governo quer um candidato para defender o legado. E eu sou o candidato para representar o futuro. Para defender o legado, eu não estou disposto — anotou.

O presidente da Câmara afirmou que o foco de sua campanha será a educação, e defendeu o “fim da pobreza e das desigualdade”.

— Tenho coragem para aceitar o desafio de andar todo o Brasil sem falsas promessas, mas com a confiança da minha determinação e com o apoio decisivo que recebo de todos vocês. A nossa geração não vai falhar. Nós queremos um Brasil seguro, moderno, eficiente e solidário. O Brasil tem saída. O fim da pobreza e das desigualdades e a construção de um país mais justo para nossos filhos exigem uma prioridade absoluta: a educação. Educação com qualidade, educação integral, educação como objetivo principal — discursou Maia.

Ao lado da mulher, Patrícia, com quem tem três filhos, além de outros dois do primeiro casamento, Maia citou o pai, que construiu sua trajetória no PDT, e o grande ícone do partido, Leonel Brizola, como uma das referências políticas em sua vida:

— Brizola com quem convivi durante muitos anos, com a divergência das ideias, mas com o respeito e admiração por um homem ético e que amava o seu povo.

Maia e ACM Neto, prefeito de Salvador e novo presidente do DEM, empunharam a bandeira da renovação e da eficiência. Embora jovens — Maia tem 47 anos e Neto, 39 — ambos são descendentes de políticos tradicionais. O presidente da Câmara é filho de César Maia, e o avô de Neto era Antônio Carlos Magalhães (ACM).

ACM NETO ADOTA DISCURSO CAUTELOSO

Um pouco mais realista, ACM Neto disse que embora conte com apenas 1% das intenções de voto nas pesquisas eleitorais, caso a candidatura de Maia cresça há um grupo significativo de partidos que podem vir a apoiá-la.

— Um dos grandes destaques dessa convenção foi a presença maciça de partidos políticos, estiveram aqui pelo menos dez partidos representados pelos seus mais altos dirigentes e que estão dialogando com o Democratas que podem vir a somar com nosso projeto nacional dando suporte à candidatura de Rodrigo Maia. Se essa candidatura ganhar musculatura, nós temos um leque bem amplo de partidos políticos com os quais podemos dialogar — pontuou Neto.

Apesar de o DEM renegar o selo de candidato do governo ao concorrente ao Planalto Rodrigo Maia, a convenção nacional da legenda foi prestigiada por lideranças de diversos partidos da base aliada do governo, inclusive pelo presidente do PMDB, Romero Jucá, partido do presidente Michel Temer. Em seu discurso, Jucá disse que vê com “satisfação” o fortalecimento do DEM, e que o lançamento da candidatura de Maia será uma “contribuição importante” para o país.

O PSDB foi representado pelo deputado Marcus Pestana (MG), que justificou a ausência de Alckmin, mas levou um abraço do presidenciável. Ambos afirmaram que embora cada qual tenha seu projeto eleitoral, seguem no mesmo campo político do DEM e sinalizaram que estarão juntos em algum momento da campanha.

— 2018 é decisivo para o Brasil, vai definir que rumo teremos para o Brasil: se vamos regredir ou se vamos continuar avançando. A candidatura de Rodrigo Maia é uma contribuição importante. Quero estender a mão e dizer que temos que estar unidos para dar seguimento ao rumo que já tomamos agora. Tenho certeza de que o Democratas estarão conosco debatendo a busca de uma solução para a construção de um pais maior ainda — disse Jucá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here