Image greve-dos-caminhões-696x465

O presidente do Sindicato dos Condutores e Empregados em Empresas de Transporte de Combustíveis Produtos Perigosos e Derivados de Petróleo (Sindconpetro), Emerson Galdino, descartou a possibilidade de uma nova paralisação da categoria na Paraíba. Por outro lado, ele disse que é provável que o movimento volte a atuar em outros estados do Brasil. A informação foi divulgada no programa Correio da Manhã, da Rede Correio Sat, na manhã desta segunda-feira (25).

“Algumas lideranças no Brasil insistem em fazer essa greve. Caso ela aconteça, aqui na Paraíba o sindicato não vai aderir. A gente entende que não é o momento. Para fazer greve, teríamos que saber qual realmente é a pauta. Por enquanto, está uma coisa meio confusa, não sabemos o que os camaradas querem, então a gente não vai entrar nessa briga. Tem alguns estados que provavelmente vai parar. Mas aqui na Paraíba, não. Até porque a gente está num processo de negociação com o governo”, garantiu.

Em maio, caminhoneiros pararam as atividades por 10 dias e bloquearam estradas em todo o país. O movimento resultou no desabastecimento de combustíveis na maioria dos postos e também de alguns tipos de alimentos nos mercados. A manifestação de caminhoneiros aconteceu em protesto contra o aumento no preço dos combustíveis executado pela Petrobras.

Leia mais no O presidente do Sindicato dos Condutores e Empregados em Empresas de Transporte de Combustíveis Produtos Perigosos e Derivados de Petróleo (Sindconpetro), Emerson Galdino, descartou a possibilidade de uma nova paralisação da categoria na Paraíba. Por outro lado, ele disse que é provável que o movimento volte a atuar em outros estados do Brasil. A informação foi divulgada no programa Correio da Manhã, da Rede Correio Sat, na manhã desta segunda-feira (25).

“Algumas lideranças no Brasil insistem em fazer essa greve. Caso ela aconteça, aqui na Paraíba o sindicato não vai aderir. A gente entende que não é o momento. Para fazer greve, teríamos que saber qual realmente é a pauta. Por enquanto, está uma coisa meio confusa, não sabemos o que os camaradas querem, então a gente não vai entrar nessa briga. Tem alguns estados que provavelmente vai parar. Mas aqui na Paraíba, não. Até porque a gente está num processo de negociação com o governo”, garantiu.

Em maio, caminhoneiros pararam as atividades por 10 dias e bloquearam estradas em todo o país. O movimento resultou no desabastecimento de combustíveis na maioria dos postos e também de alguns tipos de alimentos nos mercados. A manifestação de caminhoneiros aconteceu em protesto contra o aumento no preço dos combustíveis executado pela Petrobras.

 

Com Resumo PB