Image acne-696x464

Uma boa notícia para animar principalmente os adolescentes, atormentados pela acne.

Um estudo clínico, desenvolvido na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, criou uma nova substância testada para combater as espinhas.

Além de mais eficiente, ela não causa efeitos colaterais como o Roacutan.

Como

Os cientistas bloquearam a resposta inflamatória que as bactérias da acne causam.

Nos testes, eles usaram uma nova classe de produtos químicos anti-inflamatórios em células de laboratório.

Eles bloquearam um receptor chave para a inflamação, impedindo o desenvolvimento da acne. De quebra, como um bônus, ainda mataram as Cutibacterium acnes, que gera inflamações vermelhas e irritadas.

Após esses resultados positivos, os cientistas escolheram o composto mais promissor para o teste em seres humanos.

O escolhido se chama SIG1459. Foi usado em testes com 65 adultos que possuíam acne leve a moderada.

No experimento, havia três cremes idênticos: um com o já conhecido peróxido de benzoíla, outro com SIG1459, e o último era placebo.

Cada participante recebeu um dos três para aplicar no rosto duas vezes por dia, durante oito semanas.

Resultados

Os resultados são promissores: pessoas que utilizaram o novo composto notaram uma redução de 77% na gravidade da acne. Aqueles que usaram o peróxido de benzoíla ficaram na casa dos 56%.

O placebo, como esperado, não teve efeito algum.

Além de mais eficaz, ele não causou os efeitos colaterais que vem junto com seu concorrente.

E os cientistas já afirmam: se tudo correr como o esperado, o medicamento com esse novo composto estará disponível nas farmácias já no ano que vem.

A acne

A acne pode aparecer na forma de espinhas, cravos ou inchaço, e surge como consequência do entupimento dos poros da pele.

Óleos e células mortas são os causadores da obstrução – e quem tira proveito dela é uma bactéria, a Cutibacterium acnes.

Quando a acne é leve ou moderada, normalmente tem tratamento tópico, com cremes externos e com derivados de peróxido de benzoíla.

Mas esse composto muitas vezes causa branqueamento da pele, ressecamento e irritações com ardência.

Antibióticos também são utilizados quando há lesões maiores, mas eles estão se tornando cada vez mais ineficazes por conta da resistência das bactérias.

Se a acne for grave e houver histórico familiar do problema, muitas vezes se utiliza o agressivo Roacutan, à base de um composto chamado isotretinoína, que pode causar diversos efeitos colaterais – ressecamento agressivo dos lábios, dores na cabeça, articulações e até problemas psicológicos – no organismo de quem está passando pelo tratamento.

Todos os tratamentos disponíveis para acnes leves e moderados tentam matar as bactérias.

Com informações da Super

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.