Image Romero

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), cobrou assistência do Governo do Estado na segurança do Maior São João do Mundo. Segundo Romero, a cidade sofre perseguição e é “insultada o tempo todo”. As declarações foram feitas na tarde desta quinta-feira (28), no Programa Rádio Verdade, da Arapuan FM.

“Há um esforço muito grande da Prefeitura e da empresa de segurança para oferecer o melhor e propiciar um pouco de segurança, embora eu saiba que exista um artigo da Constituição Federal que diz de forma muito clara que segurança pública é um direito de todos e um dever do estado”, lembrou.

O prefeito ainda argumentou que o Governo do Estado não tem prestado nenhum tipo de apoio a cidade ao longo dos seis anos da gestão Ricardo Coutinho. “Até a data de hoje não temos um só convênio firmado com o Governo do Estado. Não com o prefeito, mas com a cidade. Ela precisa e merece”, ressaltou.

Apesar da denúncia, o prefeito afirma estar ‘acostumado a lutar contra adversidades’ e ressalta que o evento tem se superado. “Vamos contra tudo e contra todos realizar mais uma vez uma extraordinária edição do Maior São João do Mundo”, ressaltou.

Ele afirmou que ao contrário do que acontece na Paraíba, em Caruaru, apesar de prefeita e governador estarem em lados opostos politicamente, o Governo do Estado investiu R$ 8 milhões na festa e cabe à Polícia Militar fazer a revista da população no local da festa.

Romero relembrou a morte de vigilante que aconteceu em uma clínica de Campina Grande na última quarta-feira (28) e ressaltou falta de segurança na cidade.

Em resposta, o secretário de Estado da Comunicação, Luis Torres, cobrou respeito ao prefeito e destacou a redução nos índices de criminalidades do estado.

Com MaisPB