Image oS65e0oG

Parece que a situação realmente não está boa para o lado de Mark Zuckerberg desde o escândalo da Cambridge Analytica. Além das ações judiciais de classe que envolvem os executivos do Facebook, agora um grupo de acionistas que controlam quase US$ 3 bilhões em ações estão fazendo movimentos para derrubar Zuckerberg como presidente e desfazer a estrutura de governança da companhia.

Segundo informações, seis acionistas proeminentes alegam preocupação com a forma como o Facebook é gerenciado, a qual dá a Zuckerberg capacidade de eliminar qualquer proposta da qual ele discorde. Apesar de o Facebook informar que utiliza uma estrutura de governança sólida e eficaz, o fato de Zuckerberg ser presidente e CEO causaria incerteza, confusão e ineficiência.

Tais investidores acreditam que parte da crise referente à Cambridge Analytica se deve à forma como a empresa é administrada; e, segundo eles, os problemas não foram tratados adequadamente porque a estrutura de governança corporativa do Facebook significa que Zuckerberg é basicamente intocável como CEO e presidente. Entre as reivindicações dos acionistas, estão:

  • Pedido de renúncia de Zuckerberg do cargo de presidente e contratação de um executivo independente para ocupar seu lugar.
  • Abolição da estrutura acionária de duas classes do Facebook, porque acreditam que ela concentra poder demais nas mãos de Zuckerberg e de sua equipe de ponta.

Além disso, alguns acionistas solicitam que o comitê de auditoria do Facebook ganhe mais — mas isso teve mais força neste mês, quando a empresa reforçou as responsabilidades do comitê para abranger impacto social, privacidade e segurança cibernética.

Apesar de todo o burburinho, o Facebook se recusou a comentar sobre a polêmica envolvendo os acionistas.

Com Tecmundo