Image

Este ano, deverão ser diagnosticados 1.690 novos casos de Câncer de Cabeça e Pescoço na Paraíba. Os dados são do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

De acordo com o INCA as estimativas para novos casos de câncer na cavidade oral, que é um dos que se enquadram como de cabeça e pescoço, é de 140 para homens e 100 para mulheres, no estado.

Entre os tipos de câncer mais comuns em termos de ocorrência estão o de pele (não melanomas), da cavidade oral e tireoide. As causas vão de acordo com cada tipo de câncer, mas as mais comuns em relação aos tumores de pele é a exposição solar excessiva. Já nas lesões de cavidade oral o tabagismo e a ingestão alcoólica são os grandes vilões. Porém, alguns vírus podem também estar relacionados com surgimento de tumores de cavidade oral como o HPV.

A campanha Julho Verde alerta a população para necessidade do diagnóstico precoce da doença. O presidente da Frente Parlamentar de Combate ao Câncer da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o deputado Bruno Cunha Lima (SD), lembrou o Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço, celebrado neste 27 de julho.

“O câncer, seja qual for o tipo, é uma luta que abraçamos durante os 365 dias do ano e o trabalho é em prol da conscientização da população para a importância da realização de exames que confirmam ou não os casos de câncer em cada indivíduo. Além disso, a Frente Parlamentar promove ações que visam contribuir com instituições que atuam no diagnóstico e tratamento do câncer, a exemplo do Hospital Napoleão Laureano, aqui em João Pessoa e Hospital da FAP, em Campina Grande”, concluiu. Entre as ações da frente estão a Corrida do Bem e o Pedal Solidário que arrecadaram cerca de meio milhão para entidades filantrópicas que cuidam de pacientes com câncer.

Câncer de Cabeça e Pescoço – São considerados por incidência os que ocorrem na cavidade oral, orofaringe, laringe, glândulas salivares e tireóides. Entre os sintomas estão à diminuição do apetite, cansaço, palidez, febre e dor podem surgir na fase em que a doença está localizada. No que diz respeito ao diagnóstico, exames devem ser realizados de acordo com o local de ocorrência da patologia.

 

Com T5