Image boulos

O pré-candidato à presidência da república, Guilherme Boulos (PSOL), durante entrevista na Paraíba nesta quinta-feira (5), declarou que, se assumir à presidência, irá propor um plebiscito com o objeto de revogar as medidas do governo Temer. Segundo Boulos, à Arapuan Fm, a ação será a sua primeira como presidente.

‘’Em primeiro de janeiro de 2019 vamos mandar par ao congresso e para a sociedade, a proposta de um plebiscito para revogar todas as medidas de Temer: reforma trabalhista, congelamento de gastos, entrega do pré-sal, reforma do ensino médio”, disse.

Questionado sobre a possibilidade de disputar votos como ex-presidente Lula (PT), o psolista declarou que defende a candidatura do petista e que a sua condenação foi uma ‘farsa judicial”.

“Democracia não se negocia, princípio não se pode abrir mão por conveniência. Defendemos Lula candidato, porque entendemos que sua condenação é uma farsa judicial. Se isso vai prejudicar ou beneficiar é outra coisa, é parte do jogo, agora o jogo tem que ter regra e a regra tem que ser democrática”, destacou.

Crítico ferrenho do pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL), Guilherme ainda cobrou a presença do presidenciável em debates e afirmou que o deputado ‘foge’ de questionamentos. Ao comentar sobre suas propostas para segurança pública, ele afirmou que Bolsonaro faz política ‘em cima de cadáver’.

“Não é com grito, não é com demagogia, exploração do medo das pessoas, fazendo política em cima de cadáver que é o que Jair Bolsonaro faz. Repito, está feito o desafio para ele, é valentão diz que faz e na hora do debate se esconde em baixo da mesa, quero ver debater ideia, se escondeu no banheiro o aeroporto de Congonhas, que coisa feia para alguém que quer ser presidente,” alfinetou.

 

Com WSCom