Image medico-696x447

O tronco e a cabeça foram achados a 25 metros de profundidade; Polícia ainda não sabe quando sairá o resultado da perícia.

Na tarde desta quinta-feira (12), o chefe da Polícia Civil, Joselito Kerhle, afirma ter localizado 90% do médico Dernison Paes, de 54 anos, assassinado em Aldeia. O tronco e a cabeça foram achados a 25 metros de profundidade, com grande quantidade de metralha e areia na superfície. As buscas foram encerradas nesta noite.

Os restos mortais estavam em avançado estado de putrefação. Além da parte óssea, foram encontrados partes do tecido, músculo e pele. Todo o material coletado será encaminhado ao Instituto de Medicina Legal para perícia tanatoscópica e poderá ser submetido ao exame toxicológico, para saber se houve envenenamento.

“Houve um avanço significativo nas investigações desta quinta-feira. O que nos motiva é aguardar as perícias que estão sendo realizadas. Já tivemos o resultado positivo da perícia do DNA e, agora, a perícia da definição, através do exame necroscópico, da causa da morte”, alega Joselito. A polícia ainda não sabe quando será concluído os exames.


O crime

O corpo do médico cardiologista Denirson Paes Silva, de 54 anos, foi encontrado no dia 4 de julho, dentro do poço no Residencial Torquato Castro, onde ele residia com a família, no km 13 da estrada de Aldeia. A mulher da vítima, a farmacêutica Jussara Rodrigues da Silva Paes, e um dos filhos do casal, o engenheiro civil Danilo Paes, de 23 anos, foram autuados em flagrante por ocultação de cadáver.

O desembargador Antônio de Melo e Lima, do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), indeferiu na manhã desta quinta-feira (12) o pedido de habeas corpus de Jussara Rodrigues e Danilo Paes. Os dois são suspeitos do assassinato e ocultação de cadáver do médico Denirson Paes.
Os dois permanecem presos temporariamente, ela na Colônia Penal Feminina do Recife e ele no Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna. A polícia vai pedir a prorrogação da prisão temporária, por mais 30 dias.

Cronologia

No dia 30 de Maio houve o cancelamento da viagem de Denirson para os EUA, que tinha voo marcado para o dia 02 de junho. O desaparecimento do médico passou a contar no dia 31 de maio. Um registro do sumiço foi registrado por Jussara na Delegacia de Camaragibe no dia 20 de junho.

Com suspeitas sobre o caso, foi emitido uma Mandado de Busca e Apreensão 13 dias depois. Com a chegada da polícia na residência da família, os restos mortais de Denirson foram encontrados na cacimba, no dia 04 de julho. No mesmo dia, os dois foram autuados em flagrante por ocultação de cadáver.

A prisão temporária dos dois por suspeita de homicídio qualificado e ocultação ocorreu há 8 dias e novas partes do corpo de Denirson foram encontradas ontem, dentro do poço.

Advogado Alexandre Oliveira, responsável pela defesa da farmacêutica e do engenheiro civil, deu entrada com um pedido de habeas corpus na tarde da quarta-feira.

O desembargador Antônio de Melo e Lima, do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), indeferiu na manhã desta quinta-feira (12) o pedido de habeas corpus de Jussara Rodrigues da Silva Paes, de 54 anos, e Danilo Paes, de 23 anos. Os dois são suspeitos do assassinato e ocultação de cadáver do médico Denirson Paes. O médico era marido de Jussara e pai de Danilo.

Com Diário de Pernambuco