Image

O governador Ricardo Coutinho participou, neste domingo (1º) pela manhã, do acolhimento aos 120 voluntários da VI Caravana do Coração, realizado no Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires. Após a solenidade, eles seguiram viagem para Monteiro, a primeira cidade por onde a Caravana vai passar, com ações nesta segunda-feira (2). O evento é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com a Ong Círculo do Coração, desde 2013.  Nesta edição, além de Monteiro, serão visitados os municípios de Princesa Isabel, Itaporanga, Cajazeiras, Sousa, Catolé do Rocha, Pombal, Patos, Picuí, Esperança, Guarabira, Itabaiana e Mamanguape.

A Caravana atende crianças com cardiopatia, mulheres com gravidez de alto risco e crianças com microcefalia que já foram identificadas pelas Secretarias Municipais de Saúde. Durante o programa, são realizados vários atendimentos especializados (cardiologistas, pediatras, obstetras, psicólogos, assistentes sociais, enfermagem, nutricionistas, odontólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos) e diversos exames (de laboratório, eletrocardiograma e ecocardiograma).

“Chegamos ao sexto ano desse projeto, com muito sucesso, resgatando vidas, apesar das dificuldades pelas quais o país vem passando. Em 2010, eram investidos na saúde da Paraíba em custeio hospitalar R$ 13 milhões por mês, destes, R$ 8 milhões vinham do SUS. Hoje, são investidos R$ 80 milhões e o que vem do SUS são apenas R$ 4 milhões. Mas boas políticas como a Caravana se sustentam com recursos próprios. Se não fosse o povo da Paraíba isso não existiria, pois a população paga impostos e o governo tem o dever de fazer”, declarou o governador.

A secretária executiva de Estado da Saúde, Maura Sobreira, destacou que a Caravana faz parte da Rede de Cardiologia Pediátrica. “A partir desse convênio, tudo vem sendo preparado e a Caravana é uma atividade estruturante para fortalecer a Rede”, disse. Ela agradeceu aos voluntários e lembrou que o Hospital Metropolitano significa um novo momento no estado, por ser uma referência na neurologia e cardiologia e também por ser um serviço diferenciado.

A dona de casa Sandra Cristina dos Santos que o diga. A filha Samara Gomes, de oito anos, fez cirurgia no Hospital Metropolitano. “A gente não sabia que nossa filha tinha problema no coração. Até que ela teve pneumonia e levamos pro Arlinda Marques. Lá descobriram que tinha um sopro e logo foi transferida pro Metropolitano, onde fez a cirurgia e deu tudo certo. Fiquei nervosa, como toda mãe fica, mas fui muito bem atendida e me deram muita confiança. Só tenho a agradecer”, disse.

Para a técnica de enfermagem Juliana Correia, que está participando pela segunda vez da Caravana do Coração, trabalhar neste projeto está sendo um divisor de águas na sua vida pessoal e profissional. “Curso Enfermagem e, a partir da Caravana, descobri que quero me especializar na área de obstetrícia. E estou muito feliz porque logo no meu segundo ano vou ter a honra de ser uma das coordenadoras do acolhimento na obstetrícia. Amo este projeto”, falou empolgada.

O evento do acolhimento contou ainda com a presença da deputada estadual Estela Bezerra. “Este é um dos projetos mais inovadores do estado. Ao mesmo tempo em que a gestão enfrenta uma chaga, motivou a Paraíba inteira para perceber a situação. Mobilizou os voluntários que provocam a sensibilização; estabeleceu a tecnologia de cirurgias pediátricas e trouxe vida às crianças que antes não tinham esta expectativa”, disse.

Para a presidente da Ong Círculo do Coração (parceira do Governo do Estado no programa), Sandra Mattos, a grande novidade deste ano são as ações de saúde materna. “Desta vez, a Caravana vai levar uma equipe de 40 profissionais que desenvolverão um trabalho nas maternidades, com assistência e treinamento para obstetras, pediatras e equipes do Samu para lidar com as gestantes e neonatos de risco”, comentou.