Image rangel

Em meio ao afunilamento do processo eleitoral e as convenções, o governador Ricardo Coutinho voltou a alfinetar a administração do reitor Rangel Júnior, na Universidade Estadual da Paraíba. Segundo o governador, a crise que a UEPB enfrenta é de gestão, e não de falta de recursos, que ele gasta mais com diários de que o governador e que o reitor cometeu crime ao não repassar recursos para a PBPrev.

Durante entrevista à Imprensa (Rádi Campina FM), Rangel rebateu: “Acho feio para um governador deixar seus afazeres para denegrir a imagem das pessoas. Ele deve entender que não é o mais importante dos paraibanos, mas, sim, os cidadãos são importantes. Ele usa para me atacar, o fato de eu receber diárias, como se fosse ilegal. Isso é antiquado demais e foge do que ele prega, que é o de fugir da velha política.”

E ainda: “O governador disse que eu cometi crime deixando de passar recursos para a PBPrev, mas é ele quem comete um crime de calúnia e difamação. Isso, sim. Mas, eu vou fazer o quê? Acionar o governador na Justiça? Isso fica feio, não precisava disso e é um desserviço ele usar a Imprensa para atacar a universidade e a mim, de forma pessoal.”

O governador, como se sabe, tirou a autonomia da UEPB, logo que assumiu em 2011. Desde então, a universidade tem enfrentado crise permanente, inclusive pela redução nos repasses do duodécimo. No mês passado, depois de longa batalha jurídica, o Tribunal de Justiça da Paraíba, atendendo ação da UEPB terminou o pagamento integral dos repasses. Que o Governo ainda não está cumprindo.

 

Com Resumo PB