Image engevix

O empresário José Antunes Sobrinho, sócio da Engevix, fechou o acordo de colaboração premiada que estava negociando com a Polícia Federal.

A delação de Antunes vai ajudar a turbinar o inquérito dos portos, que investiga repasses de propina a Michel Temer.

O acordo com a PF, que ainda depende de homologação pelo STF, ocorre depois que as negociações com a PGR não avançaram.

O delator entregou detalhes sobre vários pagamentos a Temer, entre eles o R$ 1 milhão entregues ao coronel João Batista Lima Filho, operador do presidente.

A propina teve origem em contrato da Argeplan, de Lima, com a Eletronuclear para obras de Angra 3.

Segundo fontes da PF, assim como no caso de Antonio Palocci, Antunes terá de apresentar vários documentos de corroboração para que a delação surta efeitos na redução de sua pena.

Com O Antagonista