Image dolletas-2

O dólar fechou em alta nesta segunda-feira (3), primeiro pregão do mês de setembro, com os investidores ainda de olho no cenário eleitoral. O dia foi marcado ainda por feriado nos Estados Unidos e pela tendência negativa para os mercados emergentes, destaca a Reuters.

A moeda norte-americana subiu 1,93%, a R$ 4,1505 – no maior valor desde janeiro de 2016. Na máxima do dia, chegou a R$ 4,1515. Já o dólar turismo era negociado ao redor de R$ 4,32, sem considerar a cobrança de imposto (IOF)

No exterior, os investidores monitoravam ainda a guerra comercial entre Estados Unidos e seus parceiros comerciais. No final de semana, o presidente norte-americano, Donald Trump, disse que o Canadá não era necessário no acordo do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta).

O Banco Central brasileiro ofertou e vendeu integralmente 10,9 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, rolando US$ 545 milhões do total de US$ 9,801 bilhões que vence em outubro. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral, destaca a Reuters.