Das 12 empresas na Paraíba que possuem autorização para manipular explosivos, uma mineradora localizada em Campina Grande foi autuada durante operação do Exército nesta semana. De acordo com informações da 1º tenente Camila, da Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados (DFPC), a empresa paraibana que foi autuada apresentou problemas na estrutura do paiol, onde ficam armazenados os explosivos.

As pedreiras e mineradoras foram alvos da Operação Dínamo VI com o objetivo de combater o desvio de explosivos. Recentemente, quadrilhas especializadas em ações criminosas contra instituições bancárias têm agido na região utilizando dinamites e explosivos para concretizar suas ações e conseguir roubar dinheiro.

Foram fiscalizadas empresas na Paraíba, em Pernambuco, Alagoas e Rio Grande do Norte. No estado de Pernambuco uma empresa foi autuada por problemas na documentação, assim como aconteceu com outra empresa em Alagoas. Já no Rio Grande do Norte, foram apreendidos 507 kg de explosivos e 2250 m de cordel detonante porque o paiol estava com excesso de material.

Durante a fiscalização do exército foi observado se o material estava sendo utilizado adequadamente, se havia sobra de algum material de uso controlado, se a documentação está em ordem, quais as condições de armazenamento e se o depósito é adequado e garante segurança.