Se você tem um gato em casa já deve ter se deparado com algum animal morto pelos cômodos. Animais esses como ratos, passarinhos, etc, se você já viu essa cena sabe muito bem que seu bichano está envolvido com isso. Quem não tem conhecimento sobre o assunto acha que seu animal de estimação é um assassino frio, mas não é bem assim.

Os gatos são caçadores naturais, ou seja, seus instintos de sobrevivência são mais aflorados. Um estudo recente mostrou que os bichanos matam bilhões de animais pequenos todos os anos nos EUA — entre 1,4 e 3,7 bilhões de pássaros (cerca de 15% da população total), e de 6,9 a 20,7 bilhões de mamíferos. Porém, esses números não provam que eles são malvados, mas que apenas são adeptos do estilo carnívoro.

De acordo com outras pesquisas, os gatos se tornaram dóceis e domesticáveis há 10 mil anos. Por ser “pouco tempo”, eles ainda mantêm muitos instintos de seus ancestrais mais selvagens, como as entranhas preparadas para digerir a carne crua.

Mesmo assim, muitos gatos domésticos simplesmente matam pássaros e ratos e não comem a carne. Ou ainda, eles não matam — só deixam a presa enlouquecida de tanta patada que ela toma. E são as fêmeas que possuem esse tipo de comportamento mais comumente.

Quando selvagens, as gatinhas mamães ensinam os filhotes a comerem ao trazer animais mortos ou machucados para casa. Então, mesmo como bichos domésticos, os gatos não perderam esses instintos. Ainda sem um filhote para ensinar, eles precisam passar a sua sabedoria de caça para alguém. E esse alguém é você.

Largando animais mortos inteiros na sua cama ou quarto, o seu gato está simplesmente agindo como seu professor ou “protetor”. E, como ele viveu um tempo com você, sabe que o seu “dono” não tem o costume de pegar ratos ou pássaros — e ele quer te ensinar.

No final das contas, o seu bichano só quer o seu bem. E essa atitude apenas mostra como ele possui um instinto de sobrevivência altamente evoluído.