Larissa e a amiga se aproximam da grade do prédio Foto: Reprodução

A falta de parafusos de fixação nas placas de granito da fachada de um prédio no Leblon – no Rio de Janeiro, aliada à umidade no último andar do edifício, foi a causa do acidente que feriu gravemente a estudante Larissa Spezani, de 20 anos, há quase um mês.

A informação sobre o resultado da perícia da Polícia Civil foi divulgada pelo delegado Antenor Martins Júnior, da 14ª DP (Leblon), em entrevista neste domingo ao “Fantástico”, da Rede Globo. No dia 6 de março, um pedaço do revestimento de 90 centímetros por 55 centímetros despencou do prédio sobre a jovem, que continua em coma.


Momento em Que Parte da Fachada de Prédio na Zona Sul do Rio Cai Sobre Jovem (Jornal Extra)

— O que provocou o acidente foi a falta dos parafusos de fixação nas placas de granito que revestiam as varandas, associada a uma umidade que veio do último andar — disse o delegado.

O prédio no Leblon foi construído em 1982, e a norma que obriga o uso de parafusos naquele tipo de fachada só passou a valer a partir de 2010. Segundo a reportagem, a última manutenção feita no imóvel foi em 2013, e, na ocasião, não foram instalados os parafusos. O advogado do condomínio, Allan Ramos, afirma que caberia à empresa que fez a obra informar que a fachada deveria, como determina uma lei desde 2012, passar por revisão a cada três anos.


Larissa foi atingida no dia 6 deste mês Foto: Reprodução

A família de Larissa disse que vai processar o condomínio. A vítima saiu semana passada da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) de um hospital na Barra, mas continua em coma. Segundo a irmã, Letícia Spezani, a jovem já responde a estímulos como dor e temperatura. No sábado, numa postagem no Instagram, Letícia escreveu que a irmã abre os olhos e se mexe, mas permanece inconsciente. “Claro que, em alguns momentos, estamos percebendo algumas respostas: através do olhar, da escuta, chegando a se emocionar”, diz o texto. “Ela, às vezes, responde com os olhos. Isso já é uma grande vitória!”, postou.