Diante da situação financeira devido aos cortes realizados pelo governo do Estado com relação à Universidade Estadual da Paraíba, a gráfica da UEPB será fechada já no mês de junho.

A informação é do professor e reitor Antonio Rangel Junior, em entrevista à Rádio Campina FM.

Ele disse que todo o sistema está sendo migrado para o digital e a universidade deixará de produzir papel timbrado e livros na quantidade que se fazia em anos anteriores.

“Ano passado editamos 46 livros impressos, esse ano serão 23, é um corte de 50% e isso porque a UEPB não tem dinheiro”, disse.

Rangel ainda ressaltou que a universidade irá também reduzir em R$ 4 milhões a despesa de pessoal.

“Parte desse pessoal vai para o setor de privatização e outra parte será demitida. Na terceirização vai para despesa de custeio, isso para ajudar o governo do Estado a cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal e desonera a folha. Se não tem os recursos do custeio, que é igual ao do ano passado, como é que vou aumentar em R$ 4 milhões? Para isso eu tenho que deixar de fazer algumas coisas”, completou.

O reitor ainda disse que outros cortes poderão acontecer e que será feito um leilão de pelo menos 12 veículos que já não convêm fazer manutenção.