(Reuters) – O ex-presidente Michel Temer foi transferido da sede da Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo para o Comando de Policiamento de Choque da Polícia Militar paulista nesta segunda-feira, véspera do julgamento de um pedido de liberdade apresentado pela defesa de Temer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A PF informou em nota que a transferência foi determinada pela 7ª Vara Federal Criminal no Rio de Janeiro. Segundo a corporação, Temer continuará a cumprir prisão preventiva em sala de Estado-Maior do batalhão da PM paulista.

O ex-presidente foi preso na quinta-feira em São Paulo, um dia após desembargadores do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) terem cassado habeas corpus anterior e ordenado o retorno dele à prisão preventiva por suspeita de envolvimento na operação Lava Jato.

Pedido de liberdade apresentado pela defesa de Temer será julgado na terça-feira pelo STJ.

Essa é a segunda vez que Temer é preso este ano no âmbito da Lava Jato. Em março, o ex-presidente foi detido pela operação Descontaminação, que apura desvios de recursos na Eletronuclear, mas acabou sendo solto poucos dias depois graças a um habeas corpus.