Programas com temas regionais, documentários e curtas metragens fazem parte de um pacote que já está em processo de gravação

A cidade de Campina Grande que fica a 120 km da capital João Pessoa, continua sendo destaque no Cenário Nacional. Campina que exporta profissionais de tecnologia da informática para trabalhar em empresas como Microsoft e Google e é referência regional na área de tecnologia, agora vai começar a exportar conteúdo áudio visual.

No final da tarde dessa quarta feira (19) em contato com a nossa redação, o publicitário Abílio José, confirmou que está bem encaminhada uma parceria que poderá entrar para a história da comunicação paraibana. Em um futuro bem próximo, os nordestinos que moram no estado de São Paulo poderão assistir vários programas criados e produzidos em Campina, através de um canal a cabo que já existe naquele estado. Esse canal disponibiliza uma programação cem por cento voltada para a cultura do Nordeste. Segundo Abílio que não quis anunciar ainda o nome do canal, as negociações estão bem adiantadas. O que conseguimos apurar é que já estão sendo produzidos diversas modalidade de videoclipes, programas de auditório, jornalistico, curtas, documentários, seriados e até longa-metragens. 

A expansão da produção audiovisual no Brasil favoreceu a abertura de novas produtoras de conteúdo. As empresas do segmento cresceram 129% entre 2012 e 2018 e produziram 73,6% mais obras no mesmo período, revela um estudo antecipado da Fundação Dom Cabral em parceria com o Sebrae e a Apro (Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais).

A Lei da TV Paga (12.485) entrou em vigor em 2012 e estabeleceu, para a maior parte dos canais de TV por assinatura, o mínimo de 3 horas e meia de conteúdo produzido no Brasil, com metade desse material obrigatoriamente criado por empresas independentes.

Da redação