Conforme o edital agora suspenso, eram ofertadas 120 vagas nos campi do Ceará e da Bahia

O presidente Jair Bolsonaro (PSL-SP) anunciou no Twitter, na tarde desta terça-feira, 16, que o Ministério da Educação (MEC) optou pela suspensão do vestibular para pessoas trans e intersexuais que seria promovido pela Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). O edital iria oferecer um vestibular específico para candidatas(os) transgêneras(os) e intersexuais. As vagas eram para cursos de graduação presenciais nos campi Ceará e Bahia, para ingresso no segundo semestre letivo, que começa em setembro.

Conforme a publicação do presidente, houve “intervenção do MEC” na instituição, o que gerou posicionamento da reitoria pela suspensão imediata do edital e sua anulação a posteriori”.

Sobre o assunto

Para realizar o vestibular, a Unilab recorreu antes ao glossário da Organização das Nações Unidas (ONU) para poder definir cada categoria. O edital oferecia 120 vagas em um processo seletivo específico para pessoas transgêneras e intersexuais. Conforme publicado no site da Unilab, poderiam concorrer a estas vagas “estudantes transexuais, travestis, pessoas não binárias e intersexuais oriundos de qualquer percurso escolar, e que tenham concluído o ensino médio. As três primeiras subcategorias estão amparadas pela categoria pessoas transgêneras”.

Com O Povo