Até dezembro, os municípios de Bayeux, Cajazeirinhas, Coremas, Gurinhém, São José da Lagoa Tapada e São Vicente do Seridó passarão a contar com a Feira do Produtor Rural, abrindo espaço de comercialização para mais 82 agricultores familiares. O Governo do Estado já implantou oito feiras nestes primeiros seis meses do ano e consta na programação a instalação de mais seis nos próximos meses.

A ação é coordenada pela Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap). Em todo Estado, o número de feiras funcionando chega a 84, contando com 1.926 feirantes, todos agricultores familiares que comercializam seus produtos trazidos diretamente do campo.

Nos primeiros meses do ano foram inauguradas as feiras nos municípios de Borborema, Conceição, Itabaiana, Juripiranga, Juru, Pilar, Quixaba e São Miguel de Itaipu.

As feiras têm como propósito mostrar as potencialidades da produção agropecuária existentes nas regiões paraibanas por meio da agricultura familiar, público meta de extensão rural que vem incentivando a integração do produtor na cadeia produtiva do agronegócio, desde o preparo do solo à comercialização, gerando emprego e renda no campo, uma ação prioritária do Governo do Estado.

Para mostrar quanto o programa das feiras está avançando na Paraíba, o gerente estadual das Feiras do Produtor, Severino Henrique de Lima, lembrou que nas cidades de João Pessoa e Campina Grande funcionam as maiores feiras de todo o Estado e do País nessa modalidade de agricultura familiar, cada uma contando com 80 barracas.

O presidente da Empaer e da Asbraer, Nivaldo Magalhães, destacou a importância das feiras dos produtores rurais como sendo um instrumento de fundamental importância para o fortalecimento da agricultura familiar, isso porque garante um espaço de comercialização da produção diretamente do campo ao consumidor.

O gerente estadual das Feiras da Agricultura Familiar da Empaer, Severino Henriques de Lima, enfatizou que as feiras formam um formidável lugar para a comercialização de produtos agrícolas, permitindo o incentivo e a integração do agricultor na cadeia produtiva, assim gerando oportunidade de trabalho, renda e melhoria da qualidade de vida das famílias rurais paraibanas.

Com assessoria