Glenn Greenwald, editor do The Intercept, diz que a relação do ministro da Justiça Sergio Moro com Jair Bolsonaro “está muito próximo da “Síndrome de Estocolmo”, quando uma vítima de sequestro se apaixona por seu sequestrador”. A afirmação foi para comentar uma postagem de Moro sobre a cerimônia de 7 de setembro

O jornalista Glenn Greenwald afirmou que a relação de Jair Bolsonaro com Sergio Moro se compara com a de quem tem a “Síndrome de Estocolmo”.

Em sua página nas redes sociais, o editor do The Intercept, responsável pela série de reportagens da Vaza Jato que revelou o conluio entre o então juiz Moro e os procuradores de Curitiba, No post, destaca que a síndrome é um distúrbio psicológico que pode acometer vítimas de sequestro, aprisionamentos ou pessoas submetidas a um tempo prolongado de intimidação.

“Isso agora está muito próximo da “Síndrome de Estocolmo”: quando uma vítima de sequestro se apaixona por seu sequestrador, e quanto mais dignidade e auto-estima elas perdem, mais agradecidas e leais se tornam. Muito desconfortável de assistir”, escreveu o jornalista, compartilhando uma postagem do ministro da Justiça em que aparece abraçado a Bolsonaro no palanque de comemorações do Dia da Independência, neste sábado (7), em Brasília.

Da redação com O Globo